Leitores Online

domingo, 15 de setembro de 2013

Nokia testou Lumia com Android antes de ser comprada pela Microsoft


A possibilidade da Nokia adotar o sistema operacional Android, abandonando o Windows Phone, foi citada como um possível motivo para que a Microsoft comprasse a fabricante finlandesa. Fato que ocorreu no início de setembro em negociação de US$ 7,2 bilhões que envolveu a divisão de celulares e as patentes da empresa. Nesta sexta-feira essa hipótese ganhou força, pois uma publicação do blog de tecnologia Bits, do jornal norte-americano The New York Times, informou que a Nokia testou smartphones Lumia com Android.

Nokia preparava Lumia com Android

A reportagem, que afirmou ter duas fontes ligadas ao projeto – que não se identificaram –, conta que a empresa da Finlândia trabalhava com a possibilidade de apresentar ao mundo em 2014 um Lumia com Android. Podendo até migrar completamente para esta plataforma no final do próximo ano, quando chegaria ao fim o contrato da empresa com a Microsoft, para rodar o Windows Phone em seus aparelhos. No entanto, segundo a publicação, é normal fabricantes terem um plano B – o site também conta que o processo de adaptação do hardware para o novo SO foi simples.

Além disso, uma das fontes afirmou que o aparelho com Android que vinha sendo testado pela Nokia não influenciou nas negociações com a companhia de Redmond. Porém, não se pode descartar a hipótese do Lumia Android ter mexido com os executivos da Microsoft, já que a Nokia era a única grande empresa que ainda adotava o Windows Phone, respondendo por mais de 80% dos gadgets com o sistema operacional.

Falta de sintonia

A informação de que a Nokia trabalhava em um aparelho sem o consentimento da Microsoft não surpreende. Semana passada o Vice-Presidente Corporativo da empresa, encarregado do Windows Phone, Joe Belfiore, concedeu entrevista ao site CNET e contou que a falta de sintonia entre Nokia e Microsoft muitas vezes prejudicou o trabalho delas. O executivo disse que em vários momentos o resultado final não foi o melhor porque a finlandesa não colaborava com a MS como a parceria exigia.

Por Vinicius Brino




Por: Flávio Croffi / Corporativo / Mercado / Mobile

Nenhum comentário: