Leitores Online

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Nvidia revela novo modelo de tablet Tegra Note


Expandindo os horizontes para além dos processadores e placas de vídeo – e portáteis, como o Shield –, a Nvidia anunciou hoje seu primeiro tablet, o Tegra Note. Prometido para os “próximos meses”, o aparelho surge na verdade como um modelo-base, e deve ser “emprestado” a parceiras da empresa que quiserem lançar os próprios dispositivos.

O grande destaque do Tegra Note é o SoC Tegra 4, presente, por ora, apenas no novo conceito de aparelho. O chipset de quatro núcleos é baseado na arquitetura ARM e tem CPU Cortex-A15 com clock máximo de 1,8 GHz. A GPU, por sua vez, é uma Nvidia com 72 “núcleos personalizados”, nas palavras da própria empresa. O chip é tido como o mais rápido do mercado, e supostamente deixou para trás até mesmo o Snapdragon 800, da Qualcomm, em benchmarks.

Além do processador, o modelo Tegra Note terá tela de 7 polegadas com resolução de 1.280 x 800 pixels – considerada até baixa se comparada às dos possíveis rivais, como o Nexus 7 e seus 1.920 x 1.200 pixels. A RAM de 1 GB é acompanhada de 16 GB de espaço de armazenamento, expansível com a ajuda de cartões microSD, e Android Jelly Bean quase puro. A câmera traseira de 5 megapixels, por fim, grava vídeos em 100 fps (câmera lenta).

Outro recurso interessante do Note é o suporte à tecnologia DirectStylus da Nvidia, que permite o uso de canetas stylus sensíveis à pressão. Graças a ela, dá para definir a espessura de um traço, por exemplo, aplicando mais ou menos força na tela do aparelho com a ponta do acessório, o que torna a escrita bem mais natural.

O preço sugerido do Nvidia Note é 199 dólares, mas, como mencionado, o dispositivo servirá apenas como uma base, que pode ser adotada por empresas parceiras da Nvidia. Por enquanto, há acordos com EVGA e PNY na América do Norte e ZOTAC na Europa – todas conhecidas pelas placas de vídeo feitas seguindo um modelo de negócio parecido. Na Ásia e no Pacífico, as parcerias envolvem ainda a Colorful e a Shenzhen Technology, enquanto na Índia, o acordo é com a XOLO – uma das primeiras a adotar processadores Intel em smartphones.

Modificações poderão ser feitas pelas empresas citadas, e provavelmente serão. Isso porque, por pouco mais de 199 dólares, um possível comprador pode optar por um Nexus 7 ou mesmo um eventual Kindle Fire HD 2 – ambos com configurações razoavelmente melhores, exceto talvez em termos de processador.




Por: Gustavo Gusmão /  Tablets

Nenhum comentário: