Leitores Online

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Acelere o seu Mac por menos de 300 euros


A bola de praia não pára de rodar sempre que puxa mais um bocadinho pelo seu MacBook ou iMac? Então está na altura de fazer uma actualização ao sistema, mas sem ter de rebentar com o limite do cartão de crédito.

1 – Adicionar mais memória
Actualizar o hardware de um Mac não é a coisa mais fácil do Mundo. Por exemplo, esqueça mudar a motherboard ou a placa gráfica. Mas, pelo menos, as memórias são dos componentes que é possível trocar – contudo, nem todos os Mac vão permitir um upgrade de memória, uma vez que já podem vir com o máximo possível para a Logic Board incluída. Se tiver um computador com 4GB é muito provável que possa fazer a actualização para, pelo menos 8 GB. Mas para ter a certeza, a Crucial (uma das principais marcas de memórias) disponibiliza uma ferramenta gratuita que pode descarregar em eu.crucial.com. no botão que diz ‘Download the Scanner’. Corra o ficheiro APP que irá abrir uma página Web onde vai poder ver em detalhe as informações sobre a memória do seu Mac. Por exemplo, o nosso (um iMac 5K) tem 8 GB de memória e pode chegar aos 64 GB. A Crucial dá logo sugestões de compra do lado direito, mas pode sempre anotar os modelos compatíveis e ver preços de outras marcas. Se quiséssemos fazer um upgrade de memória ao nosso Mac aqui da redacção, escolhíamos, para já, dois pentes de 8 GB.

Preço: €103,19 (portes gratuitos)

2 – Upgrade para disco SSD
O segundo elemento onde nos vamos concentrar é na substituição do disco rígido. Os iMac vêm, por defeito, com discos rígidos mecânicos (HDD), no nosso caso de 1 TB. Comprar um disco SSD (Solid State Drive) com uma capacidade igual iria colocar em causa o nosso orçamento, por isso vamos apostar num consideravelmente mais em conta, embora haja que fazer concessões de espaço. Contudo, lembre-se de que tem vários serviços cloud com espaço gratuito onde pode guardar ficheiros e até mesmo discos externos bastante acessíveis onde também pode pôr muitos dos seus documentos. A ferramenta da Crucial que usámos para identificar a memória também lhe vai dar indicações sobre o SSD a comprar. Desta vez vamos passar ao lado das opções dadas por esta marca e optamos por um Samsung 250 GB EVO 850 que pode ser encontrado na loja online Novo Atalho (novoatalho.pt). Alertamos para que veja com atenção que tipo de SSD pode instalar no seu Mac, pois os modelos pré-2013 vão precisar de adaptadores para que consiga montar um disco de 2,5 polegadas numa baia que tem 3,5.

Preço: €89,90 (mais €2,90 de portes)

3 – Limpeza do disco
Um Mac sem ficheiros que já não são usados é um Mac mais limpo e, consequentemente, mais rápido. Há vários programas que podem ser usados para fazer este tipo de intervenção, como o CCleaner, mas o melhor é mesmo o CleanMyMac 3. O software não é gratuito, mas vale cada euro gasto na sua aquisição. A interface é bastante simples de utilizar e basta, para começar, que carregue no botão ‘Scan’ para que o programa inicie a sua busca pelo lixo acumulado no sistema. Use também o CleanMyMac para desinstalar completamente aplicações, em vez de usar o comando ‘Delete’ habitual (command + backspace).

Preço: €39,95

4 – Analisar o tráfego na rede
Apesar de o Monitor de Actividade nos dar alguns dados sobre as ligações de rede que estão a decorrer no Mac, pode haver coisas que lhe passam despercebidas. Se vir que a utilização da rede está em níveis muito altos, use a aplicação Little Snitch 3 para identificar o que é que está a aceder à rede sem a sua autorização. O download pode ser feito em obdev.at.

Preço: €29,95
Total: €262,99

5 – Monitor de Actividade
Abra esta app e mantenha-a na sua dock. Sempre que notar que o Mac está a ficar lento (lá vem a bola de praia a rodar), verifique a utilização que está a ser feita no separador CPU. Quando as aplicações estão a vermelho, significa que não estão a responder: seleccione-a e carregue no botão com a cruz que está no canto superior esquerdo para fechar a mesma. Para ver em tempo real a utilização do CPU na dock, faça clique com o botão do lado direito do rato (ou ‘option + clique’, caso tenha um Magic Mouse sem definição de lado direito ou esquerdo), escolha ‘Ícone na Dock’ e depois seleccione ‘Mostrar utilização do CPU’.

6 – Desactive as animações do MacOS
O aspecto do MacOS e as animações do mesmo, como por exemplo as da dock, ajudam a diferenciar este sistema operativo de outros. É por isto que muitos utilizadores preferem um Mac ao Windows, mas às vezes estas animações podem tornar lentas as máquinas mais antigas. Apesar de podermos desligar algumas coisas nas ‘Preferências do Sistema’ do MacOS, existe uma aplicação que centraliza tudo numa só interface: a TinkerTool (bresink.com). Para complementar os tweaks que vai poder fazer aqui, entre na secção ‘Acessibilidade’ das ‘Preferências do Sistema’ e em ‘Ampliar/Reduzir’ deslique ‘Suavizar Imagens’; depois, em ‘Monitor’ active as opções ‘Reduzir Movimento’ e ‘Reduzir Transparências. Estas últimas dicas são especialmente úteis em Macs mais antigos, como os pré-2012.

Conclusão
Fazer o upgrade de hardware a um Mac não é tão simples como num PC com Windows. Aqui há duas opções: recorrer ao YouTube para ver alguns tutoriais, como por exemplo as de Jonathan Morrison. E há sempre um amigo que percebe mais de computadores e que o pode ajudar nesta tarefa, não é? A alternativa é recorrer a uma loja de reparações rápidas, tendo a certeza de que é um centro autorizado Apple. Contudo, aqui vai ter de pagar pela mão de obra, por isso tenha cuidado caso queira seguir o nosso orçamento de 300 euros. Para poupar algum dinheiro, pode deixar de lado a compra das apps que sugerimos, e optar por opções gratuitas como o CCleaner.




Por: Ricardo Durand / Guia Completo
Fonte: www.pcguia.pt

Nenhum comentário: